Contribua com o trabalho do SOS Ação Mulher e Família: Banco Santander (033) / Agência 0632 / Conta Corrente 13000863-4 / CNPJ 54.153.846/0001-90

domingo, 20 de maio de 2018

Em SP: Encarceramento feminino é tema de evento gratuito e aberto ao público

16/05/2018



De acordo com a 2ª edição do Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (INFOPEN) sobre a situação das mulheres encarceradas no Brasil, o país conta com uma população prisional feminina de 42.355 mulheres. No levantamento de 2014, o número era de 37.380, o que representa um aumento de 13%.

sábado, 19 de maio de 2018

A maior operação contra pornografia infantil do mundo

Segunda fase da operação Luz na Infância já prendeu mais de 250 pessoas no Brasil, entre eles policiais.

Material apreendido com jovem advogado em Minas Gerais, com mais de 780 mil arquivos pornográficos (Policia Civil/Uberlândia).

VICE entrevista: Elza Soares


Ela fala sobre seu novo disco, 'Deus É Mulher', feminismo, preconceito e rock.

Elza Soares sai do quarto de hotel como uma entidade, vestida de branco da cabeça aos pés para dar entrevista e falar sobre o disco que lança nessa sexta (18), Deus É Mulher. Não lembra nem um pouco aquela cantora cuja biografia é extremamente comovente. Nascida numa comunidade do Rio de Janeiro, foi obrigada a se casar aos 11 anos, pariu aos 12 e passou muita dificuldade durante a vida.

Nós por Nós – assédio sexual e violência de gênero no ambiente acadêmico

Nós por Nós é um mini documentário produzido por estudantes da UnB (Universidade de Brasília) e trata da violência de gênero no ambiente acadêmico.
Já exibido no 2° Festival de Cinema do Paranoá, em abril deste ano, agora concorre a prêmio no 13° Festival Taguatinga de Cinema, que vai até o dia 07 de junho.
Para assistir ao curta, basta clicar aqui.
Para votar, é necessário se cadastrar e se logar no site do Festival.

Feministas chilenas exigem nas ruas uma educação não sexista

Milhares de estudantes universitárias marcham em diferentes cidades para protestar contra casos de abuso acadêmico e violência contra mulheres

ROCÍO MONTES
Santiago do Chile 18 MAI 2018

A nova onda feminista chilena, liderada pelas estudantes universitárias, saiu às ruas de todo o país nesta quarta-feira em uma nova demonstração de força. “A maior passeata desde 2011 foi feita por nós, mulheres: O feminismo veio para ficar!”, tuitou a porta-voz da Confederação de Estudantes do Chile (CONFECh), Araceli Farías, referindo-se aos protestos históricos de sete anos atrás que exigiam uma educação pública, gratuita e de qualidade. Desta vez, as grandes protagonistas foram as estudantes do ensino superior, às quais se juntaram as do ensino médio. A imagem de uma jovem sem sutiã ao lado de uma estátua de João Paulo II, em um dos pátios da conservadora Pontifícia Universidade Católica, é a expressão da indignação das manifestantes, que marcharam sob o lema Contra a violência de gênero, educação não sexista.

Nome social é ‘ponta do iceberg’ na vivência escolar de pessoas trans

Regulamentado pelo MEC em janeiro, uso do nome social no registro escolar é uma entre várias reivindicações da comunidade trans nas escolas, como garantia do uso de banheiro e formação de professores; São Paulo se destaca com salto de 235% em matrículas com nome social nos últimos dois anos

Por Lola Ferreira*
17 DE ABRIL DE 2018

Em janeiro, o Ministério da Educação (MEC) autorizou que alunos transgênero usem o nome social nos registros escolares em todas as unidades de ensino básico do país. Antes mesmo dessa conquista, São Paulo viu triplicar o número de matrículas de estudantes com nome social na rede estadual nos últimos dois anos, segundo dados obtidos pela Gênero e Número junto à Secretaria de Educação do Estado. Concentrando 20% dos alunos do ensino básico em todo o Brasil, segundo o Censo Escolar de 2017, São Paulo tinha 609 estudantes registrados com nome social em março de 2018 – um salto diante dos 182 que se registraram em 2015.

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Como conduzir as crianças em situações de luto?

Para especialista, é necessário ter um diálogo franco com as crianças e legitimar seus sentimentos para apoiá-las durante o luto

ANA LUIZA BASILIO
7 de Maio de 2018

Um dia, Arthur teve que se mudar de residência. Uma como outra qualquer, com janelas, portas, uma sala comprida e até um banheiro com banheira. Mas o menino percebeu que tinha algo de diferente ali.

“Antes morava em uma outra casa. Ele, sua irmã, a mãe e o pai. Mas tudo mudou, e todos mudaram e se mudaram. Bem, nem todos. Nessa nova casa, a Casa Preta, Arthur morava só com o pai e a mãe. A irmã não pôde ir. A família ficou menor. Nossa, que falta faz a irmã!”

Vênus Negra - Trailer legendado

imovision
Publicado em 3 de jun de 2011
Trailer legendado do filme Vênus Negra, de Abdellatif Kechiche. O filme é estrelado por Yahima Torres, Andre Jacobs, Oliver Gourmet e Elina Löwensohn.

Paris, 1817, na Escola Real de Medicina. "Eu nunca vi a cabeça de um ser humano tão parecida com a de um macaco.". Parado ao lado do modelo feito a partir do corpo de Saartjie Baartman, o médico Georges Cuvier é categórico em sua afirmação. O grupo de honoráveis médicos que ali se reúnem o aplaudem com entusiasmo.
Sete anos antes, Saartjie sai de sua terra natal na África do Sul com seu mestre, Caezar, que expõe seu corpo para a audiência dos shows de horrores em Londres. Livre e escravizada ao mesmo tempo, a  "Vênus de Hottentot" se torna um ícone dos miseráveis, destinada a ser sacrificada na busca de um fio de esperança na prosperidade.

Dia da Escola: qual é o papel da educação na segurança on-line de crianças e adolescentes?

15 mar 2018

Os educadores têm um papel estratégico na proteção e orientação de crianças e adolescentes. Aproveitando o espaço da escola para discussão de temas importantes, como sexualidade, gênero e segurança no ambiente on-line.

Um estudo sobre o comportamento de crianças e adolescentes no ambiente on-line, realizado recentemente pelo Google, aponta que 35% dos educadores já tiveram conhecimento sobre algum incidente relacionado à segurança on-line nas escolas; 98% deles concordam que o tema da segurança on-line deveria fazer parte da grade curricular dos colégios, contudo, embora reconheçam a importância da escola nesse papel, 83% desses profissionais afirmaram que não sentem que possuem os recursos necessários para ensinar o tema a seus alunos. Confira:

CHEGA DE FIU FIU - TRAILER OFICIAL



Think Olga

Publicado em 20 de abr de 2018
Sinopse:

As cidades foram feitas para as mulheres? O filme Chega de Fiu Fiu narra a história de Raquel, Rosa e Teresa, moradoras de três cidades brasileiras, que, por meio de ativismo, arte e poesia resistem e propõem novas formas de (con)viver no espaço público.

Registro de paternidade e certidão devem ser gratuitos independentemente de renda

O Conselho Nacional de Justiça determinou que a averbação do reconhecimento de paternidade em cartórios e a emissão de certidão devem ser gratuitas, mesmo se o pai tiver condições de pagar pelo serviço. Os conselheiros definiram que é inválida norma do próprio CNJ que limitava o serviço de graça apenas aos declaradamente pobres.

Campanha contra 'sextorsão' expõe as consequências trágicas de crimes online

Ameaças de vazamentos de fotos íntimas atingem, sobretudo, mulheres e meninas nas redes sociais.
By Ana Beatriz Rosa
15/05/2018
Uma jovem de apenas 15 anos decidiu tirar a própria vida após sofrer ameaças de vazamentos de fotos íntimas. A morte de Karen Saifer, em novembro de 2017, expõe as consequências trágicas dos dos crimes online.

Transexuais e travestis não podem viver em presídio feminino, diz juíza

Como há diferenças entre quem nasceu mulher e transexuais que não passaram por cirurgia de mudança de sexo, não se pode permitir que pessoas com diferentes perfis convivam na mesma unidade prisional. Assim entendeu a juíza Leila Cury, da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, ao negar pedido de 11 transexuais femininas e travestis que estão em prisão preventiva e queriam ser retiradas de prisões masculinas.
A decisão afirma que existem diferenças biológicas entre as transexuais que não realizaram cirurgia de redesignação, as travestis e as mulheres cis — termo para quem se vê com o mesmo sexo em que nasceu. A juíza presume que essas diferenças podem gerar risco, como brigas e estupros.

SOS Ação Mulher e Família participa do Portfólio de investimentos da Phomenta


Terry Crews sobre masculinidade tóxica: 'Os homens precisam ser desprogramados'

ILLUSTRATION: DAMON DAHLEN/HUFFPOST PHOTOS: GETTY
Terry Crews, o eterno Julius da série Todo Mundo Odeia o Chris, não está aqui para essa história de machões.
"A masculinidade pode ser um culto", disse Crews no evento Women in the World, realizado em abril. "E, quando digo 'culto', não é diferente de David Koresh [líder de uma seita que causou a morte de 80 pessoas]. Não é diferente de Jim Jones [que foi líder do culto Templo dos Povo, famoso pelo suicídio em massa e assassinatos de 918 pessoas em Jonestown, na Guiana, em 1979].
E o ator de Brooklyn Nine-Nine conhece bem o preço da masculinidade tóxica.

Ricos 'não deveriam usar o SUS', diz Drauzio Varella

  • 16 maio 2018
  •  

Dráuzio Varella
Image captionEm entrevista à BBC Brasil, médico mais famoso do Brasil diz que país 'ousou dizer que saúde é um bem de todos e um dever de Estado' (Crédito: Cynthia Vanzella/Divulgação Brazil Forum UK)

O médico mais famoso do Brasil não tem papas na língua.
Aos 75 anos, o paulistano Drauzio Varella é dono de opiniões fortes - e polêmicas.
Em entrevista à BBC Brasil no Reino Unido, onde participou de um ciclo de palestras organizado por estudantes brasileiros, ele defendeu que os ricos deixem de usar o Sistema Único de Saúde (SUS).

quinta-feira, 17 de maio de 2018

SOS Ação Mulher e Família na Roda de Conversa "A Diversidade vai Mudar o Mundo"

SOS Ação Mulher e Família participou da Roda de Conversa "A Diversidade vai Mudar o Mundo" no II Encontro de Publicitários através de nossa psicóloga Tânia Azevedo, no dia 15/05/2018, às 19:00, na FAM.



Mulheres que jogam a toalha com ‘The Handmaid’s Tale’: “Isto é pornô de tortura”

“Não consigo continuar assistindo”. Uma parte da crítica internacional questiona o sadismo da segunda temporada e a capacidade de resistência do telespectador

16 MAI 2018

El País

Elisabeth Moss numa imagem do primeiro capítulo da segunda temporada de ‘The Handmaid’s Tale’
Elisabeth Moss numa imagem do primeiro capítulo da segunda temporada de ‘The Handmaid’s Tale’HULU/HBO
segunda temporada de The Handmaid’s Tale não está sendo um prato fácil de digerir. “Apertei o botão de acelerar o vídeo com tanta frequência nesta temporada que sou obrigada a me perguntar: por que estou vendo isto? Tudo parece tão gratuito, como uma surra que não acaba nunca”, escreve Lisa Miller na The Cut, e acrescenta: “É feminista ver mulheres serem escravizadas, degradadas, surradas, amputadas e estupradas? Como exatamente estou participando de uma revolução de mulheres sentada na minha cômoda cama e consumindo isto? Será que The Handmaid’s Tale derrapou em sua segunda temporada, deixando de ser um produto cultural elevado para virar um pornô de tortura?”.

Associação Argentina de Futebol faz manual para jornalistas conquistarem russas

AFA Mundial de Rusia
O polêmico manual distribuído pela AFA
“As russas não gostam de ser vistas como objetos”, “prestam muita atenção se você é limpo, cheiroso e bem vestido” e “odeiam homens chatos”, diz o manual de língua e cultura russa distribuído na terça-feira, dia 15, pela Associação Argentina de Futebol (AFA) a cerca de 40 jornalistas esportivos. Ao folhear o material, os alunos inscritos no workshop encontraram uma seção intitulada “O que fazer para ter uma oportunidade com uma garota russa”. O escândalo começou depois que alguns participantes, entre surpresos e indignados, postaram o tutorial machista nas redes sociais. A AFA confirmou a este jornal que o polêmico material existiu, mas afirma que foi retirado de circulação dias atrás pelo Departamento de Educação e nunca chegou às mãos de alunos. Segundo sua versão, o manual foi escrito por “uma terceira parte não vinculada à AFA, que viveu muitos anos na Rússia”.

quarta-feira, 16 de maio de 2018

No Brasil, especialistas veem fragilização de serviços para mulheres vítimas de tráfico de pessoas

Publicado em 15/05/2018

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) participou no início do mês de encontro para debater a assistência dada pelo Brasil a vítimas de tráfico internacional. Evento em Brasília reuniu representantes do Judiciário e do Executivo para discutir marcos sul-americanos que podem melhorar políticas públicas do país. Especialistas alertaram para momento de fragilização das instituições que prestam serviços para quem sofreu esse tipo de violação.

Campanha de Enfrentamento à Exploração Sexual de Crianças


PEC 181 e a Proibição do Aborto

28 de Abril de 2018
Recentemente, recebemos nos estúdios Simony dos Anjos, socióloga e responsável pela coluna Fé-ministas, que semanalmente traz o debate de varias religiões sob a perspectiva de gênero. Simony faz o alerta para a tramitação da PEC 181, que traz o retrocesso na pauta do aborto legal, como nos casos de estupro, por exemplo, colocando necessariamente a questão sob revisão judicial. Se aprovada a proposta, abortos permitidos em lei há quase 80 anos serão criminalizados, além de ser proibida fertilização in vitro ou pesquisas com células tronco embrionárias.

Aliança Nacional LGBTI e Rede GayLatino lançam Manual de Comunicação para mídias

14 de Maio de 2018
Durante esse mês de maio, a Aliança Nacional LGBTI e a Rede GayLatino lançam o Manual de Comunicação LGBTI+. A publicação é destinada aos meios de comunicação, incluindo jornalistas e estudantes da área e tem por objetivo contribuir para diminuir preconceitos e estigmas e colaborar para o melhor entendimento de termos que são recorrentes entre a população. Os lançamentos ocorrerão em Brasília, São Paulo, Curitiba e Maceió.

terça-feira, 15 de maio de 2018

Banco Mundial diz que Brasil precisa garantir mulher na economia

Envolverde
Julio Ottoboni  14/05/2018

O Brasil ainda precisa avançar na elaboração de leis que garantam a plena participação econômica das mulheres, segundo relatório do Banco Mundial cuja versão em português foi divulgada nesta segunda-feira (14) no Rio de Janeiro.
O documento alertou para o fato de a legislação brasileira ainda não estabelecer licença parental, medida que poderia incentivar a divisão de tarefas de cuidados com a família. O sistema de licença parental, hoje adotado em 58 economias mas não no Brasil, permite que o tempo de licença conjunta seja repartido entre o pai e a mãe.

Curdas criam vila só para mulheres

A cidade de Jinwar, no Norte da Síria, está quase pronta; são 20 casas e uma escola para abrigar mulheres que se rebelam contra o jugo dos homens em meio à violência da guerra

7 de Maio de 2018

Djila Abdula tem 24 anos, mas já carrega um passado caudaloso atrás de si. Tímida, com os cabelos aloirados cobertos por um véu azul, dificilmente olha no olho de seus interlocutores. Em especial, dos homens. Casada por imposição da família aos 16 anos, Djila se cansou de uma vida que ela conta ter sido marcada pela exploração, pelo desrespeito e pela violência. Largou o marido há cerca de dez meses e se tornou a primeira moradora oficial de Jinwar, uma vila só de mulheres que está sendo construída no norte da Síria, perto da fronteira com a Turquia, em uma região de domínio curdo conhecida como Rojawa.

Projeto que amplia causas para perda de poder familiar é aprovado na CDH

Agência Senado
Da Redação | 25/04/2018
Projeto que amplia as hipóteses de perda de poder familiar para condenados que cometem crime contra a própria família foi aprovado nesta quarta-feira (25) na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH). O PLC 13/2018, de autoria da deputada Laura Carneiro (DEM-RJ), inclui entre essas hipóteses feminicídio, lesões gravíssimas e abuso sexual.

Fim do feminicídio está associado a mudança cultural, dizem participantes de audiência

Da Redação | 25/04/2018
Agência Senado
Mudanças socioculturais são necessárias para acabar com a violência contra a mulher, segundo os particiapentes da audiência pública da Comissão Permanente Mista de Combate à Violência contra a Mulher realizada nesta quarta-feira (25). Foram ouvidos especialistas, pesquisadores e representantes do poder público para abordar a aplicabilidade da Lei do Feminicídio (Lei 13.140/2015).

A triste realidade das mulheres de Mato Grosso

10/05/2018
Estudo inédito realizado pela Delegacia da Mulher traçou o perfil dos agressores e das vítimas de violência contra a mulher no estado
Um estudo inédito realizado pela Delegacia Especializada da Defesa da Mulher (DEDM) revela dados significativos e traça um perfil das vítimas e dos suspeitos de violência contra a mulher no estado de Mato Grosso. De acordo com a Polícia Civil, o objetivo da divulgação dos casos é contribuir para uma nova perspectiva com relação ao planejamento e implementação de ações especializadas.