Contribua com o trabalho do SOS Ação Mulher e Família: Banco Santander (033) / Agência 0632 / Conta Corrente 13000863-4 / CNPJ 54.153.846/0001-90

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Fazendo turbante e tocando na história



Oficina de Turbante no SOS Ação Mulher e Família no mês da Consciência Negra


Momento de relaxar, também é momento de colocar pensamentos em ordem e tomar fôlegos para os próximos atendimentos. Esses momentos também podem ser momentos de se aproximar da cultura e da ancestralidade. Fazer turbantes, também é fazer ecoar a nossa história, fazer ecoar a nossa trajetória de vida. É mais que um adereço carregado na cabeça, turbante é coroa pra mulher negra. Carregar um turbante na cabeça é mais que chamar atenção e olhares para si, carregar um turbante é resistir. Sim, é pesado, pois vivemos numa sociedade racista, onde as pessoas dizem que mulher preta não tem voz e nem vez, e quase sempre nos fazem acreditar. Porém sempre temos outras pretas e pretos para nos inspirarem e apoiarem. Os cuidados que desenvolvemos ao longo da vida, são cuidados que vêm da terra, que vêm do útero, que vivem em processo de reconhecimento matriarcal, que carregam sabedoria.  Somos muitas, somos todas e nossos olhares estão em processo dialógico com a alteridade. Como muitas coisas na ancestralidade africana são circulares, a roda que faz o mundo girar a cada dia que passa, também faz o desejo de  cada dia. Olhar e valorizar a cultura, a história e a cor de pele, é olhar para si, e olhar para si, é olhar para outra pessoa.

Oficina realizada em 13 de novembro de 2017 - com Andressa e Rosângela (trabalhadoras do SOS Ação Mulher e Família)



















Andressa, Rosângela e Cinthia

Cinthia Cristina da Rosa Vilas Boas
- educadora social, militante do movimento negro, articuladora da REAJU (Rede articula juventude de Campinas) e psicóloga, formada pela Universidade São Francisco - USF (Itatiba). Atualmente como Psicóloga na Média Complexidade (
Politica do SUAS) no SOS Ação Mulher e Família. Foi conselheira do Conselho Municipal de Direitos Humanos na gestão 2013 - 2015. Participante do Fórum de Integração e Cultura Afro-Brasileira da Unicamp (FICAFRO). Colaboradora da Subsede de Campinas desde 2011 e do Grupo de Trabalho em Relações Raciais, instaurado em Fev/2015. Atualmente Secretária de Politicas Sociais no Sindicato dos Psicólogos de SP.

Nenhum comentário:

Postar um comentário